Cidade
Buscar por
Não encontrou o que procura? Atualizar meu cadastro
  • Digibel
  • Editora Jornal de Beltrão S/A
  • Yes Telefonia e segurança

Projeto Suasa fortalece agroindústrias familiares

08/03/2013 | por Jornal de Beltrão


Membros do Ministério do Desenvolvimento Agrário e da Unicafes Paraná debateram programas; ao fundo, o presidente da Unicafes, Luiz Possamai.

 

Uma das principais atividades desenvolvidas pela agricultura familiar no Estado do Paraná são os pequenos empreendimentos solidários, responsáveis pelo beneficiamento, processamento e transformação de produtos agropecuários in natura.

A Unicafes Paraná, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), vem desenvolvendo um projeto que visa o fortalecimento das agroindústrias por meio da qualificação da mão de obra e do planejamento da gestão e produção dos empreendimentos pertencentes aos municípios da área de abrangência da Unicafes PR.

O objetivo principal é a certificação e qualidade higiênica sanitária dos produtos através da adesão ao Sistema Único de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), novo sistema de inspeção implantando pelo Governo Federal em 2006 que permite a legalização e implementação de novas agroindústrias, além de facilitar a comercialização dos produtos industrializados localmente em todo o território brasileiro. O projeto contempla ações de identificação, regularização da inspeção municipal, oficinas de mobilização e capacitação do poder publico e dos agricultores familiares nas questões higiênico sanitárias.

 

Resultados já obtidos

Nos dias 25 a 27 de fevereiro, a equipe técnica da Unicafes e do MDA esteve visitando algumas agroindústrias beneficiadas com o projeto. A pesquisa apontou o município de Guaraniaçu com maior número de agroindústrias (57), seguida de Francisco Beltrão (28).

No dia 26, a equipe de projetos da Unicafes juntamente com o presidente, Luiz Ademir Possamai, realizou uma reunião com representantes da empresa ganhadora da licitação, a Equipe de Técnicos Agroecológicos da Fronteira LTDA.

A reunião tratou de avaliar a execução da primeira etapa, realizada em 2011, quando foram mapeados e diagnosticados 254 agroindústrias, em vinte municípios destas regiões. Na oportunidade foram coletados dados dos municípios, tipos de produtos industrializados, certificação dos produtos e estruturas física e profissional.

Segundo informações da equipe de projetos, no total já foram mapeados 757 empreendimentos em 110 municípios do Estado, onde a Unicafes PR possui atuação direta.

Destes, foram identificadas 16 categorias de produtos, sendo a cana-de-açúcar presente em praticamente todas as agroindústrias visitadas, número este que deve sofrer alterações em virtude da grande rotatividade do mercado.

 

Ações de mobilização

Debates de sensibilização e mobilização para adesão ao novo sistema deverão ocorrer ainda este ano com os municípios e as agroindústrias.

Segundo Luiz Possamai, as autoridades locais e regionais ainda não estão cientes da importância do Suasa para o desenvolvimento local.

O presidente cita o exemplo do município de Cascavel que já aderiu ao novo sistema, permitindo que os produtos sejam comercializados em todo o território nacional, resultando na maior produtividade e consequentemente geração de renda, tanto para o agricultor familiar quanto para o município. “Isso tudo traz mais segurança e confiança na qualidade do produto ao consumidor”, destaca o presidente.

 

Sobre o Suasa

O Suasa foi regulamentado em 2006, por meio do Decreto nº 5.741, e a sua finalidade é garantir a saúde dos animais e a sanidade dos vegetais, a idoneidade dos insumos e dos serviços agropecuários e a oferta de produtos agropecuários seguros e em conformidade com os padrões mundiais de segurança. Até o momento, cinco estados brasileiros aderiram ao Suasa (Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais e Bahia) e já têm suas produções certificadas dentro de um sistema com padrões de excelência.

 

Aderir

Para aderir ao Suasa, os municípios têm duas formas: individual, onde cada município solicita sua adesão; ou coletiva, por meio de consórcio de municípios, quando a estrutura do serviço (equipe técnica de inspeção, veículo, computador, telefone e sala) pode ser a mesma para todos que fazem parte do consórcio e os custos podem ser divididos. Os municípios que optarem pelo consórcio devem primeiro criar o seu Serviço de Inspeção por meio de lei municipal e de regulamento, para depois estruturar e executar o serviço em conjunto.

Outras notícias

Mais notícias
  • Digibel

Editora Jornal de Beltrão S/A Copyright ©2011    Desenvolvimento: CEICOM